Novembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930   

Calendário Calendário


Princípios de Genética

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Princípios de Genética

Mensagem por Criador De Pássaros em Sab Mar 02, 2013 4:42 pm

Qualquer pessoa, logo que pense em fazer criação de canários, começa a tentar compreender algumas regras básicas para o acasalamento destas aves. Devo desde já adiantar que esta não é uma área muito fácil de entender visto a genética ser uma ciência bastante complexa e em evolução. De qualquer forma, mesmo pequenos conhecimentos, são excelentes para a criação de canários. Para começar, penso que será benéfico clarificar alguns termos utilizados:
Gene - Factor de transmissão de carácter es hereditários constituindo uma unidade independente.
Genótipo - Totalidade de genes, composição hereditária de um indivíduo, através da herança paterna e materna.
Fenótipo - Aspecto determinado pelo genótipo e por modificações eventuais (por exemplo derivadas de condições ambientais).
carácter hereditário - Qualquer característica de um ser vivo susceptível de ser transmitido à sua descendência.

A herança genética , genótico, de um indivíduo já se encontra no ovo. O ovo resulta de união do espermatozoide (com a herança genética do pai), com o óvulo (com a herança genética da mãe). Essa informação genética encontra-se em cromossomas.
Quando os genes (um do pai e outro da mãe), que determinam um carácter são iguais estamos perante uma situação de Homozigotia.
Quando os genes (um do pai e outro da mãe), que determinam um carácter são diferentes estamos perante uma situação de Heterozigotia.
Num caso de heterozigotia o filho apresenta, ou o carácter do pai, ou o carácter da mãe, ou apresenta uma situação nova resultante de combinação dos genes do pai e da mãe. Se apresenta o carácter do pai dizemos que esse carácter é dominante e o da mãe é recessivo. Dizemos ainda que esse filho é portador do carácter recessivo da mãe, porque o tem no seu genótipo mas não se manifesta. Se o que surge é uma mistura dos dois carácter es (do pai e da mãe) dizemos que não há dominância.

Por vezes, a informação que um gene contém altera-se, passando a transmitir uma informação diferente dando-se o que se chama uma mutação, aberração cromossómica ou alteração genética. Estes acidentes genéticos, tais como alteração, eliminação, duplicação, trissomia de par e "crossing-over" são bastante complexos não cabendo tais explicações no âmbito deste pequeno texto.
O "crossing-over" permite obter canários Isabel cruzando canários castanhos com Ágatas.
O sexo dos canários é também determinado pela combinação dos genes. Desta forma, talvez seja possível entender-se os carácter es ligados ao sexo. Um macho que possua um carácter ligado ao sexo pode dar origem a fêmeas que não o apresentem e a machos que o apresentem. O macho pode ser Puro, Portador ou Normal a fêmea pode ser Pura ou Normal. Nem todos os carácter es são ligados ao sexo.
Chama-se factor letal àqueles carácter es que quando se apresentam em homozigotia (igual no macho e na fêmeas) conduzem à morte do embrião. Estão neste caso duas situações bem importantes:
- carácter Branco-Dominante
- carácter intenso

Segue-se uma lista de factores dominante e recessivo:

Dominante Recessivo
Oxidação Diluição
Não Pastel Pastel
Não Opal Opal
Não Ino Ino
Não Satinet Satinet
Não Marfim Marfim
Não Branco Branco
Intenso Recessivo
Eumelanina Negra Eumelanina Castanha
Negros-Castanhos Castanhos
Negros-Castanhos Ágatas
Negros-Castanhos Isabelas
Ágatas Isabelas
Castanhos Isabelas
Factores onde não se manifesta quanquer dominância:

Presença de refracção Ausência de refracção
Presença de Melanina Ausência de Melanina
Factor vermelho Factor Amarelo
carácter es não ligados ao sexo:

O factor que determina a presença de melanina
O factor Ino
O factor de refracção
O branco dominante
O branco recessivo
O factor Opal
O factor intenso
O factor amaleo e o vermelho
carácter es ligados ao sexo:

O factor que determina a presença de eumelanina negra
O factor determinante da diluição (Ágata-Isabel)
O factor determinante do efeito pastel
O factor marfim
O efeito Satinet
Exemplos práticos:

1 Acasalando un canário Amarelo Puro com canário Branco Recessivo, obtêm-se exemplares amarelos portadores de Branco.
2 Acasalando entre si, os canários resultantes do cruzamento anterior, têm uma descendência 25% de Amarelos-Puros, 25% Brancos-Puros e 50% de canários Amarelos Portadores de Branco.
3 Do cruzamento de um canário de plumagem intensa e um nevado, dá origem a 50% de canários com plumagem intensa e 50% com plumagem nevada.
4 A caslando dois canários nevados só terão filhos nevados.
5 A união de dois canários intensos, dá 50% de exemplares com plumagem intensa, 25% com plumagem nevada, e 25% de embriões mortos (factor letal).
6 Do acasalamento de um canário com poupa com um canário de cabeça lisa, dará origem a um número igual de canários com e sem poupa.
7 Da união de dois canários com poupa, 50% terão poupa, 25% terão cabeça lisa e 25% de embriões mortos.
Regras para o acasalamento de canários com factores ligados ao sexo.

1 Macho Puro x Fêmea Pura - Todos os descendentes são puros.
2 M Puro x F Normal - 50% machos portadores, 50% fêmeas normais.
3 M Portador x F Normal - 25% machos portadores, 25% machos normais, 25% fêmeas puras e 25% fêmeas normais.
4 M Normal x F Pura - 50% machos portadores 50% fêmeas normais
5 M Portador x F Pura - 25% machos puros, 25% machos portadores, 25% fêmeas puras e 25 fêmeas normais.

avatar
Criador De Pássaros
Admin
Admin

Mensagens : 95
Data de inscrição : 23/02/2013

Ver perfil do usuário http://clubedascalopsitas.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum